Competência e Comprometimento:
8 de outubro de 2019
CAGED e RAIS serão substituídas pelo eSocial em 2020.
16 de outubro de 2019

Absenteísmo: O grande desafio das empresas!

As empresas enfrentam diariamente o desafio de se manter no mercado buscando eficiência, eficácia e qualidade nos seus produtos e serviços. O reflexo deste sucesso está diretamente relacionado com a  equipe de profissionais que devem operar suas atividades em um ambiente que ofereça as condições físicas com foco na segurança do trabalho, como o local para desenvolver suas atividades, equipamentos e um ambiente que esteja sob a gestão que mantenha o equilíbrio entre os membros da equipe e com o relacionamento com toda a empresa e alinhados com os objetivos da corporação.

Um dos pontos de atenção que a empresa deve ter é a GESTÃO DO ABSENTEISMO, pois dependendo do nível de perda de horas de produção afetará os resultados da corporação.

Muitas vezes notamos que alguns CIO e gestores acreditam que as causas do absenteísmo é de responsabilidade dos colaboradores. Com certeza quando a empresa atinge a maturidade administrativa possui uma visão diferente e assim consegue ter uma avaliação das causas e encontrar as melhores soluções para mitigar e até eliminar as incidências da ausência do trabalhador.

O absenteísmo deve ser analisado sobre vários contextos, como:

  • Estilo de Liderança
  • Infraestrutura para exercer o trabalho
  • Clima Corporativo
  • Plano de Carreira
  • Metas Tangíveis
  • Imaturidade Corporativa do Individuo
  • Saúde Ocupacional
  • Segurança do Trabalho

Quando se faz a analise dos motivos da ocorrência das ausências ao trabalho, devemos considerar este estudo avaliando a empresa por cada setor, pois assim poderemos identificar os principais focos onde o índice é mais significativo.

O importante é atacar a “causa raiz” quando for identificada, com ações que possam resultar na mudança do comportamento destes trabalhadores.

Quando analisamos o comportamento do individuo, motivado pela sua falta ao trabalho, não podemos deixar de considerar que este comportamento pode levar ao desequilíbrio de toda a equipe, pois afetará o trabalho de outro profissional, como afetará no cumprimento das metas estabelecidas e acordada por todos.

Alguns lideres podem achar que a demissão deste colaborador e contratar outro será a solução sem antes analisar os reais motivos que levaram a este comportamento. A reflexão da gestão deve estar livre de qualquer medida intuitiva e sim a que resolva a real causa.

Não podemos esquecer que a RELAÇÃO entre o TABALHADOR e EMPRESA é uma via de mão dupla, ou seja, o trabalho deve ser executado com afinco e responsabilidade, dedicando o melhor de si para  atingir os objetivos da empresa. Cabe a corporação oferecer o melhor ambiente de trabalho, desde a INTRAESTRUTURA, POLITICAS ADEQUADAS, METAS TANGIVEIS e CLIMA ORGANIZACINAL MOTIVADOR.

O absenteísmo é algo que não se consegue eliminar, porém se fazendo o trabalho de gestão adequado que envolvam não somente Recursos Humanos, Saúde e Segurança do Trabalho mas toda a corporação e seus respectivos gestores nos diversos níveis de liderança, é que se poderá atingir o menor índice de absenteísmo na corporação.

Segundo Chiavenato (2009) e Lacombe (2010). “Absenteísmo, é uma expressão utilizada para designar a ausência dos funcionários ao trabalho, em princípio sem uma razão que a justifique, como doença, comprovadas ou não, crônicas ou eventuais; motivos familiares; dificuldades de transporte; falta de motivação em virtude de supervisão inadequada. Em um sentido mais amplo, é a soma dos períodos em que os funcionários se encontravam ausente do trabalho”.

Portanto, absenteísmo é a ausência não planejada do funcionário ao posto de trabalho, independente se a ausência foi justificada ou não.

Não é considerado absenteísmo no trabalho as ausências planejadas na empresa, afastamento legal ao trabalho por direito adquirido do trabalhador.

Por exemplo, férias, folgas, abonos, licença prêmio e licença maternidade, sem prejuízo de seus proventos salariais.

Precisamos considerar que para a empresa obter um valor confiável do índice de absenteísmo, ela deve ter um controle de ponto eficiente para alimentar os valores quantitativos de horas trabalhadas versus as faltas consideradas na composição do calculo deste índice.

Os softwares de Folha de Pagamento e Controle de Frequência existentes no mercado, na sua maioria, possuem esta função de calculo do Índice de Absenteísmo.

Em uma visão básica deste calculo podemos considerar o seguinte exemplo:

  1. Uma empresa com 50 trabalhadores e trabalhando 8 horas/dia
  2. Horas trabalhadas considerando 20 dias uteis  no mês
    1. Hor. Trab. mês= 50(trab.) X 8(horas dia) X 20(dias uteis de trab.)= 8.000h/mês
    1. Hor.Trab. mês= 8.000 h sem considerar faltas(justificadas ou não) e atrasos
  3. Computar as faltas e atrasos
    1. 10 trabalhadores faltaram 1 dia no mês. Faltas= 10 X 8 X 1 = 80 horas Faltas
    1. 30 trabalhadores atrasaram 20 minutos cada um no mês
      1. Transformar os minutos em horas = 20 min X 30 Trab. = 600/60= 10 h
    1. Total de Horas Faltas e Atrasos = 80 + 10 = 94 horas
  4. Total de Horas de abstenção ao trabalho = 94 horas
  5. Calculo do Índice de Absenteísmo
    1. Horas Trabalhadas (sem faltas e atrasos) =  8.000 h
    1. Índice de Absenteísmo = 94 (horas de abstenção) / 8000 X 100 = 1,17 %
  6. Em um mês o Índice é 1,17% de absenteísmo.

Esta gestão deve ser executada mensalmente para se construir um estudo da evolução do absenteísmo na empresa e  tomar as devidas ações para solucionar os desvios de comportamento dos trabalhadores.

Nas avaliações a serem consideradas temos que voltar a nossa atenção para os afastamentos de nossos trabalhadores que estão relacionadas à incidência de incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho.

Recomendamos o acompanhamento dos afastamentos por doenças, pois a empresa poderá reduzir o seu custo previdenciário, caso encontre situações onde o afastamento estiver relacionado   a uma doença atribuída a execução laboral, ou seja, a cada beneficio oferecido pelo INSS, como B91 e entre outras ocorrências, onde estes casos farão parte da apuração do FAP, Fator Acidentário de Prevenção.

A área de SST da empresa deverá adotar ações preventivas para evitar estas ocorrências de adoecimento evitando o aumento dos benefícios concedidos pelo INSS e com isso diminuirá o Fator Acidentário de Prevenção – FAP , que poderá variar de uma redução de 50% ou aumentar em até 100% do valor a ser recolhido para a Previdência Social.

A Gestão do Absenteísmo tem como objetivo reduzir os custos da empresa em várias circunstâncias.

Nós podemos ajudar você na redução do custo previdenciário.

Entre em contato e conheça o nosso serviço de Gestão de Afastamentos e outros. Clique Aqui!